JUNDU, VEGETAÇÃO TÍPICA DO LITORAL, E SUA IMPORTÂNCIA PARA A PRESERVAÇÃO DO ECOSSISTEMA.

Fonte: Jornal Costa Norte/Meio Ambiente/ed. 457/ 7 a 11 de abril/2001/pág 12



Comum em áreas de restingas do litoral , o jundu faz parte do conjunto das comunidades vegetais que compoem a vegetação da restinga, essas comunidades vegetais aparentemente diferentes, estão sobre influências marinha e fluvio-marinha. Sua presença ocorre ao longo de todo o litoral brasileiro com variações climáticas que conferem uma diversidade ambiental e biológica. Esses vegetais são considerados edáfios ( dependem mais da natureza do solo que do clima ) .
imagem: Adriane Ciluzzo

A restinga é formada por três tipos de vegetação até chegar a Mata Atlântica: de praia e dunas, sobre cordões arenosos  e as associadas as depressões . O jundu, também conhecida como escubre, é  comum em áreas litorâneas , faz parte da segunda vegetação. De características rasteiras , pode alcançar até três metros de altura.distribuídas  ,  protege e evita o avanço da areia do mar sobre a cidade. Essa avanço está acontecendo nas praias da Baixada Santista e Litoral Norte, algumas regiões já tem as ruas tomadas pela areia trazida pelo vento.
Por estar localizada em área de grande interesse comercial, a vegetação está sendo retirada para a construção de imóveis. A remoção provoca o aumento da erosão eólica  , um trabalho mecânico causado pelos ventos que provoca o movimento da areia.

Legislação
Apesar da existência  da Lei 9 605 , sobre os crimes ambientais, técnicos do Ibama, afirmam que o jundu pode estar em fase de extinção. Tanto a Lei 9 605, quanto o decreto 3 179, prevêem pena de três meses a um ano de prisão e multa, cujo valor corresponde a área desmatada. Segundo a resolução nº 07, de 23 de julho de 1996 do Conselho Nacional do Meio Ambiente ( Conama ) , além da vegetação original, o jundu tem três estágios de regeneração que são divididos em três partes : inicial, médio e avançado. Na fase original o que predomina são os ramos retorcidos que formam moitas fechadas que dificultam a passagem e contêm poucas epífitas (vegetal que usa um outro como suporte sem retirar nutrimento dele ) . No estágio incial, o jundu tem porte menor do que a vegetação original, crescendo apenas um metro. Já ne médio, essa vegetação é subarbustiva, com até 2 metros de altura e o diâmetro do caule é de cerca de 2 cm, com maior diversidade e quantidades de epífitas. No estágio avançado, apesar da herbácea-arbustiva ser mais aberta, a vegetação assume a aparência original com as mesmas características desta fase .

Biodiversidade
Além disso, existe uma diversidade de espécies da fauna e flora nessas moitas como , por exemplo, ervas do tipo trepadeiras, serrapilheira, canelinha-do-brejo, orelha-de-onça, maria-mole, samambaia-de-buquê, cana de congonhinha,, feijão-de-praia e erva baleera.  Há ocorrências de aves migratórias e residentes como, bem-te-vis, sairás, tucanos e araçaris, arapongas, jaós e jacus, que também são constantes.