http://www.guaruja1.xpg.com.br

 Folclore de Guarujá - Dança do Caranguejo

  Fonte deste Texto: Giffoni, Maria Amália Corrêa Danças Miúdas do Folclore Paulista -
  Portal do Folclore Brasileiro

Com esta denominação se conhece, também, uma cantiga de roda, acompanhada de gestos que os versos determinam, e que constitui a alegria da criançada. O de que vamos tratar aqui é uma ciancinha executada por adultos, e que, além da gesticulação indicada no estribilho, inclui outras figuras e versos, sendo inteiramente acompanhada de canto.

O Caranguejo é das danças mais divulgadas no Brasil e de grande penetração no século XIX, tendo sido mencionada no início daquela centúria pelo francês Freycinet, que a considerou imoral, pelas características então apresentadas.

A forma que observamos recentemente (1970), no Guarujá, mostra-se interessante. Apresenta duas fileiras que se defrontam, aproximam-se e recuam, lembrando a Quadrilha, como acontece com o Caranguejo em algumas áreas gaúchas.

Notam-se, ainda, as tradicionais batidas de pés e de mãos, além de giros enlaçados, em que a dama e o cavalheiro permanecem em diagonal e não frente a frente como é comum. É esta versão que apresentamos, detalhadamente, abaixo, fazendo-se acompanhar de canto.

Em Bertioga, na modalidade conhecida há algum tempo, dama e cavalheiro se alternavam numa roda.
Todavia, a coreografia gaúcha do Caranguejo é indiscutivelmente a mais rica.

Em algumas localidade rio-grandenses-do-sul é vista em filas opostas, porém, na maioria delas a disposição em círculo é predominante, observando-se reverências, "balancê", isto é, giro do par de mãos dadas, e as habituais batidas de pés e mãos. Em determinado momento, há troca de lugar com par diferente, acompanhada de "castanholas" com os dedos. Além da variedade coreográfica, causa espécie a solenidade com que os pares se cumprimentam ou trocam de lugar, dando ao Caranguejo o aspecto de dança grave, o que nos parece não ocorrer nas modalidades vistas em outros Estados.

Apesar do Caranguejo incorporar-se ao Fandango batido, e apresentar habitualmente batidas de pé, na forma conhecida em Itanhaém um pé, depois outro, intercalado com palmas, bate levemente no chão. No Caranguejo guarujaense, que descrevemos, não se nota a alternância dos pé nas batidas, apenas o direito se encarrega delas.
Em Parati, onde os giros continuam presentes na coreografia do Caranguejo, ele fazia parte até 1962, da Ciranda, sendo das danças mais antigas.

Foi também registrado entre as danças do Fandango do litoral norte do Estado de São Paulo, em pesquisa de caráter oficial, feita em 1960, à qual já nos referimos. Já mencionado, igualmente, no Fandango de Itanhaém.
Talvez se possa atribuir a grande divulgação da dança Caranguejo, encontrado no Fandango de toda a região sulina e visto com freqüência no litoral paulista e fluminense, à importância que esse crustáceo tem na alimentação das populações praianas. Há indivíduos que fazem profissão da caça do caranguejo, tal é o consumo. Pelo baixo preço, é mais acessível que o peixe, tomando-se habitual nas mesas pobres. Há caranguejos tanto de água salgada, como de água doce notando-se, ainda, a sua presença em determinadas plantações. Deles são conhecidas várias espécies, fatos que justificam a sua freqüência e popularidade, provavelmente estendidas à dança de igual nome.



Guarujá - Mais Folclore
[  Folclore de Guarujá   ] [   A Dança do Chapéu   ] [   Caranguejo  ]

[   Inha Ninha   ]

[  http://www.guaruja1.xpg.com.br   ]